O que é reação adversa a alimentos?

A alimentação exerce um papel fundamental em nossas vidas. Muito além de ser uma necessidade básica a ser suprida para a sobrevivência, ela tem também um caráter social importante em todas as faixas etárias. Por isso, a chamada reação adversa a alimentos pode gerar tantas preocupações.

Mas você sabe exatamente do que se trata esse problema? A seguir, tire suas dúvidas sobre essa condição.

Reação adversa a alimentos: o que é?

Toda vez que o corpo entra em contato com um alimento ou aditivo alimentar que contém uma substância específica que ele não consegue transformar em seu processo, a reação acontece para avisar que aquele aditivo não funciona para o organismo. Ou seja, a reação adversa a alimentos acontece quando o corpo reage de maneira anormal e indesejável durante a ingestão.

Academia Americana de Alergia e Imunologia define a reação adversa a alimentos como qualquer reação indesejável que ocorre depois da ingestão de um alimento que, geralmente, é tolerado pela maioria das pessoas.

Essas reações podem ser secundárias à alergia alimentar ou à intolerância alimentar, e abrangem uma grande gama de sinais e sintomas.

Como a reação adversa a alimentos aparece no corpo?

Geralmente, as reações são bastante visíveis e envolvem problemas na pele, como coceiras. Já no trato gastrointestinal, elas podem gerar dor, vômitos e diarreia.

Mas, dependendo do nível de reação alérgica que o alimento causa, pode haver complicações, também, em diferentes órgãos do corpo.

Quais os tipos de reação adversa a alimentos?

Basicamente, existe a diferença entre intolerância e hipersensibilidade. Um paciente intolerante a algum alimento sofre de uma desordem metabólica, por meio da qual o organismo não apresenta enzimas que ajudam na digestão de certas substâncias.

Já a hipersensibilidade é uma reação do corpo que atua produzindo anticorpos contra a substância específica.

O exemplo mais comum de intolerância alimentar é a intolerância a lactose, onde os pacientes que possuem passam a apresentar ausência ou diminuição da função do enzima lactase, que atua na digestão da lactose. Assim, os pacientes que ingerem leite e derivados possam apresentar sintomas de náusea, cólica, gazes e até vômitos e diarreia.

O que é a reação alérgica a alimentos de forma cruzada?

É o que acontece quando um alimento acaba gerando reação alérgica para outras substâncias que sejam da mesma família. Por exemplo, um paciente que tem alergia ao trigo, pode apresentar os mesmos sintomas alérgicos na ingestão de centeio e cevada.

Ou, então, quem tem reação adversa a nozes tem a possibilidade de vivenciar os mesmos problemas ingerindo castanha-do-Pará, avelã e castanha de caju.

A reação adversa a alimentos pode causar reação anafilática?

Sim, essa é umas das reações mais graves que o organismo pode enfrentar ao ingerir um alimento que provoca alergia. Isso acontece quando muitas substâncias químicas são liberadas ao mesmo tempo para responder à alergia gerada por aquele produto.

O problema é que isso causa queda da pressão arterial, coceira generalizada e até colapso vascular, conhecido como choque anafilático, um quadro súbito e que exige atenção e socorro imediato.

Como posso saber quais as alergias que tenho?

Para confirmar suspeitas de algumas reações alérgicas a alimentos que o paciente pode vir a apresentar, existe o teste alérgico. Realizado por um médico alergologista, ele consiste basicamente na aplicação de possíveis alérgenos, de acordo com o histórico clínico, no antebraço. Em alguns casos, o paciente vai ter que ingerir o alimento in natura para também ter a resposta do corpo documentada, o chamado teste de exposição, mas esse procedimento tem indicações precisas após avaliação rigorosa.

A reação alérgica a alimentos tem tratamento?

Na verdade, o melhor remédio para evitar alergias alimentares é a parada completa de ingestão de determinado alimento. Ainda não existe um tratamento específico para a cura dessas reações, mas o especialista busca receitar medicamentos que possam aliviar os sintomas causados por tal resposta do corpo.

Muitas vezes, dependendo do grau de alergia que o paciente apresenta, até uma indicação nutricional é necessária, visando que o corpo não sofra com a interrupção de consumo de um alimento importante para o funcionamento do organismo.

Um alimento alérgico hoje pode não ser alérgico amanhã?

Muito comum em casos de alergia alimentar na infância, a alergia a determinados alimentos acaba por desaparecer. A maioria das alergias alimentares na infância são resolvidas ao longo do tempo, e depois a criança volta a tolerar.

Pais com crianças alérgicas precisam prestar muita atenção em rótulos e embalagens de alimentos. No entanto, existem casos em que o paciente desenvolve a alergia quando criança e não vem a perdê-la quando adulto. O especialista que cuida do caso tende a prescrever uma dieta de eliminação e, depois, uma de reintrodução para alimentos suspeitos de causarem reações adversas – o que faz com o que o processo de retirada ou de introdução de determinados alimentos seja controlada e documentada. Devidamente acompanhada.

E então, tiramos suas dúvidas sobre a reação adversa a alimentos? Deixe sua mensagem nos comentários ou entre em contato conosco. Até a próxima!

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *