Alergia a medicamentos na infância

A alergia a medicamentos pode ser muito perigosa, especialmente quando afeta o público infantil – que é ainda mais vulnerável e fragilizado. Sendo assim, é preciso ter atenção na administração de qualquer composto, a fim de que o organismo não saia prejudicado.

Confira, neste artigo, um pouco mais sobre a alergia a medicamentos na infância e veja dicas para proteger seus filhos desse inconveniente. Acompanhe.

O que é a alergia a medicamentos?

A alergia a medicamentos – também conhecida como alergia medicamentosa – é caracterizada como uma reação imune do organismo, desencadeada a partir do contato com determinado alérgeno – que nesse caso é um remédio (ou um componente nele presente, no caso um aditivo). O sistema imunológico reconhece como estranho o princípio ativo do medicamento ou algum de seus aditivos (como conservante ou estabilizante) e monta uma reação contra ele, o que leva aos sinais e sintomas.

Essa condição pode ser bastante perigosa, uma vez que pode promover reações rápidas: além das reações de pele, pode causar insuficiência respiratória, alterações na pressão arterial – levando à anafilaxia. Vale ressaltar que em diversos sinais e sintomas ela pode ser, na forma de apresentação, semelhante à alergia alimentar de forma imediata, e deve ser tratada com a mesma seriedade. Também podem ocorrer reações mais tardias, que surgem depois de alguns dias utilizando a medicação ou após a sua suspensão, e que são de gravidade leve até formas graves.  

Essa alergia pode ocorrer em qualquer idade e a partir do contato oral e intravenoso, ou por  outras formas de administração de medicamentos. A crise alérgica por intervenção medicamentosa deve ser administrada com urgência, evitando danos ao organismo.

Como a alergia a medicamentos se manifesta nas crianças?

A alergia medicamentosa se manifesta praticamente da mesma forma que em adultos, as vezes com pequenas particularidades. Lembrando de que os sinais e sintomas podem variar de pessoa para pessoa e de acordo com a classe do medicamento envolvido.

Dentre os indícios mais comuns, estão coceira e vermelhidão na pele, inchaço no corpo, comprometimento das vias aéreas e, em casos mais extremos, o choque anafilático. Tais sintomas costumam aparecer alguns minutos após o contato com o alérgeno (medicamento) nos casos de reações imediatas.

Por que essa alergia pode ser mais perigosa nas crianças?

A depender da idade, as crianças podem não passar as queixas, ou seja, os sintomas que sentem, de forma clara. Algumas das manifestações de alergia a medicamentos podem ser confundidas com quadros típicos da infância, como doenças infecciosas virais. Isso tudo pode retardar o diagnóstico. Além do que o organismo das crianças chega a ser mais vulnerável do que o dos adultos para determinadas doenças.

Como tratar e/ou evitar a alergia a medicamentos nas crianças?

É difícil prever qual medicamento poderá causar alergia nas crianças. Sabemos que algumas classes dão mais reações que outras. É após um contato posterior que a maior parte das fragilidades é identificada. A partir dai, o importante é manter o pequeno à distância do remédio em questão e de outros que possam ser produzidos a partir de fórmulas semelhantes (reações cruzadas), a partir das recomendações feitas pelo alergologista, depois de analisar todo o caso.

No momento da reação alérgica, é fundamental buscar atendimento médico com máxima urgência, já que o quadro pode evoluir e ficar mais grave em poucos instantes. Na hipótese de reação, a medicação suspeita deve ser suspensa e substituída, se necessário, com a devida orientação medica. O diagnóstico correto da reação possibilita o melhor tratamento e orientação posterior do caso.

A alergia a medicamentos pode ser uma ameaça à saúde das crianças, visto que, especialmente nessa fase, o sistema imunológico está em formação, em contato com diversas substâncias.

Tome cuidado com os seus pequenos e tenha sempre atenção a qualquer manifestação diferente no corpo deles: isso pode ser sinal de alergia. Evite a auto medicação e siga corretamente a prescrição médica. E não esqueça que procurar ajuda de um alergologista, seja quais forem as proporções dos sintomas, é essencial!

E então, ficou mais claro como funciona a alergia a medicamentos na infância? Ainda tem alguma dúvida sobre o tema? Deixe sua mensagem nos comentários e até a próxima!

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *