Como identificar alergia em bebês?

As alergias estão cada vez mais comuns, tanto nos adultos quanto nas crianças, por isso, o conhecimento básico sobre elas é essencial. Ainda que pareçam reações inofensivas, elas podem, também, ser perigosas e trazer graves riscos ao organismo – por isso, nada de menosprezá-las, certo?

Muita atenção aos possíveis sintomas é essencial e pode fazer toda a diferença no tratamento, principalmente quando estamos falando dos nossos pequenos. Para os bebês, que são mais vulneráveis, todo cuidado deve ser redobrado!

Por isso, no post de hoje, falaremos mais sobre como identificar alergia em bebês. Confira nossas dicas a seguir!

O que são as alergias?

As alergias são uma reação do organismo que ocorre a partir do contato com determinada substância, interpretada como estranha pelo sistema imunológico. Essa substância é conhecida por alérgeno e pode ser de origem ambiental ou alimentar, e atinge o corpo através de inalação, ingestão ou contato com a pele.

Na fase infantil, a incidência das alergias é ainda mais comum, em virtude do corpo estar em formação e apresentar fragilidade. São nos primeiros meses de vida que boa parte das alergias tendem a se manifestar – já que, nessa fase, ocorre o primeiro contato do bebê com diversas substâncias.

Como se manifesta a alergia em bebês?

Para identificação da alergia em bebês, é preciso bastante atenção e cuidado. Muitas das reações podem passar despercebidas ou ser comuns a outras enfermidades – confundindo o quadro. Os sintomas podem variar um pouco de acordo com a alergia em questão, mas seguem a mesma linha sintomática.

O primeiro sintoma que pode ser identificado nos bebês são as reações na pele. Geralmente, percebe-se o aparecimento de pequenas manchas avermelhadas ou lesões que provocam coceira e incômodo. Os bebês tendem a ficar inquietos e irritados com a situação e transparecem isso por meio de choros e irritabilidade. As reações de pele podem ser localizadas ou generalizadas, dependendo do tipo de contato e do alérgeno.

Outras ocorrências comuns são congestão nasal e dificuldade de respiração, tosse, irritação na garganta, nariz e olhos, vômitos e diarréia. Esses sintomas de alergia em bebês podem se manifestar simultaneamente ou de forma isolada, conforme nível reativo da alergia. Ainda, não há como prever exatamente o quadro, já que é uma reação do próprio organismo e que varia muito de pessoa para pessoa.

Nos casos mais graves, a alergia pode evoluir até ao fechamento da glote – estrutura triangular localizada na parte mais estreita da laringe –, impedindo a respiração. O que acontece é que, com o contato com o alérgeno, essa estrutura acaba inchando e impedindo a passagem do ar até os pulmões. Esse tipo de reação ocorre, geralmente, a partir da ingestão de alimentos ou medicamentos intoleráveis pelo organismo, e é bastante delicada, por isso, precisa ser revertida com urgência.

Alergia em bebês: o que fazer?

Caso você perceba algum desses sintomas que apresentamos no seu bebê, não adianta se desesperar, é preciso calma e cuidado! O ideal é buscar logo a ajuda de um médico especialista, para que esse profissional possa dar as orientações necessárias para você e seu bebê.

Não espere as reações evoluírem, em caso de alergia em bebês, busque ajuda de um médico alergologista o quanto antes para garantir a saúde e bem-estar do seu filho. Ainda, tente identificar diferentes contatos que seu pequeno possa ter tido e avise o seu médico sobre essa questão. Isso ajudará a determinar o tratamento e desenhará os cuidados que serão necessários para que outras situações sejam evitadas.

Muitas vezes, a alergia em bebês passa despercebida, já que os sintomas apresentados se confundem ou são sentidos em baixa intensidade. No entanto, elas não podem ser ignoradas, pois podem representar o início de uma reação e acabar evoluindo para quadros mais sérios.

Fique atento ao seu bebê e o trate sempre com muito cuidado. Situações como essa são bastante delicadas e precisam ser bem administradas.

E então, tiramos sua dúvida sobre como identificar alergia em bebês? Você tem alguma experiência sobre isso para compartilhar? Deixe sua mensagem nos comentários e continue acompanhando nosso blog para obter outras dicas para a sua saúde e a de quem você ama. Até a próxima!

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *